outubro 22, 2009

O Timoneiro


O Timoneiro

Ao longo de toda a minha vida, eu mantive uma sede insaciável de aprender. Eu sabia, e sei que é o único caminho para ser cada vez melhor. Não para ser melhor que ninguém, apenas para ser melhor hoje do que fui ontem, e melhor amanhã do que sou hoje. Aceitando esse princípio, sempre mantive uma atenção exacerbada com tudo o que me rodeia e principalmente com todos os que me rodeiam.

Existem inúmeras formas de aprendizagem, mas todas elas têm origem na intenção de conhecer, e esta manifesta-se no acto pertinente de questionar. Enquanto crianças, a curiosidade natural favorece o aprendizado, daí que o que nos é dito repetidamente funcione como regra instituída de comportamento. Quando vamos para a escola, habituamo-nos a ter no professor a autoridade que institui o que devemos conhecer, dirigindo a nossa atenção a seu bel-prazer. Mas, quando chegamos a adultos e mantemos o impulso de aprender, a nossa exigência é muito maior. Isso despoleta uma barreira à aquisição de determinado conhecimento, porque implicaria o assumir do erro ou da ignorância. Algo que a maioria das pessoas rejeita fazer. Contudo, é parte integrante do processo de maturação, aceitar a mudança como via de evolução, e mudar implica o abraçar de realidades até então desconhecidas. Para que essa barreira inicial seja quebrada, para que esse obstáculo não impeça o fluxo normal de conhecimento, o indivíduo tem que estar perante um argumento inquestionável e devidamente fundamentado, ou perante reconhecida autoridade ou, melhor ainda constatar um exemplo real.

Mesmo quando num grupo de indivíduos, em que todos servem o mesmo propósito, é necessário aliciar o desenvolvimento de cada um para servir o todo. Assim o timoneiro, ou o homem do leme, tem que se destacar do colectivo para definir o rumo e manter a coesão do esforço gregário ao longo de todo o processo. É a forma de agir de um treinador, de um líder político, de um coreógrafo, e de qualquer outro que vise usar a força de um grupo para cumprir uma meta.

O timoneiro será o detentor do conhecimento e aquele que torna compreensível o processo de aprendizagem a todos. Como diria John F. Kennedy: “ Liderança e aprendizagem são indispensáveis uma à outra!”

Sem comentários:

Enviar um comentário