julho 03, 2009

Simplesmente


Simplesmente….Simples

Sempre fui um indivíduo bastante sociável, fazia amigos com uma facilidade inacreditável. Desde que tenho noção do mundo, que procuro fazer com que todos gostem de mim. Tornar-me uma pessoa memorável pelas melhores razões. Apesar de hoje saber que é praticamente impossível conseguir um feito desses, ainda assim persigo essa meta, mas de uma forma genuína e espontânea em oposição com o comportamento que tinha quando adolescente.

Na minha adolescência, era um rapaz que procurava sempre agradar os outros, tudo fazia para ser aceite, para me sentir integrado. Mesmo que, por vezes isso implicasse contrariar os meus próprios desejos. Não sei se era debilidade na auto-estima, se era por ter amigos muito bonitos, algo me instigava a diminuir-me perante os outros, dando ainda mais força à atitude quase submissa que mantinha. Ao ver-me dessa forma, eu tornei-me um excelente observador que releva cada pormenor e que busca o mais ínfimo detalhe para compreender a realidade de cada situação. Exploro todos os prismas de observação possíveis e imaginários, extrapolando por vezes o limite do razoável, pois desperto a habilidade de encontrar suporte lógico para duas realidades antagónicas. Este comportamento tornou-me um aprendiz insaciável, que procura em todos os instantes estimular em si e nos outros, reacções variáveis para que possa melhor compreender a complexidade que é o ser humano. Mas não pensem que estou de algum modo a fustigar-me, muito pelo contrário, assumo que tive uma adolescência fantástica, e que foi determinante para o meu processo de maturação e teve influência directa na profissão que escolhi.

Hoje, como instrutor do Método DeRose há quase nove anos, reconheço quão imprescindível é essa forma de aprendizagem para poder lidar com as mais diversas pessoas, mas acima de tudo para poder agir livre de restrições e condicionamentos e ser fiel aos meus princípios. A complexidade do individuo tem origem na relação expectativas criadas/medo de fracassar, e adquire proporções ainda maiores quando perante algo ou alguém tão ou mais complexo. Assim a base de qualquer relação pessoal ou profissional tem que ser a simplicidade.

“ Tudo deve ser o mais simples possível, mas nem um pouco vulgar.” Albert Einstein

Sem comentários:

Enviar um comentário