junho 08, 2009

Procrastinação


Procrastinação

Para muitos de vocês, esta é uma palavra nunca antes ouvida, logo ainda incompreendida. Mas, posso garantir-lhes, sem cometer erros de excepção, que todos já procrastinaram! Por favor, não se insurjam contra o que lhes digo. Posso garantir que parece bem pior do que realmente é. Dar-vos-ei um exemplo pessoal para poder ilustrar e ajudar-vos a definir este palavrão.

Há cerca de 4 anos atrás, deitei mãos à obra a um projecto que sempre desejei realizar: escrever um livro! Na mesma semana, consegui transportar para o papel inúmeras reflexões e estruturar diversos conceitos a fim de melhor expor o meu tema. Atirei-me de cabeça, pois era algo que há muito ambicionava fazer, e regozijava-me por ver o esboço dar forma às minhas ideias. Até que…deixei de ter tempo. Pequeninas coisas iam surgindo e que sugavam o tempo de que dispunha para continuar. Coisas que não tinham importância alguma, mas que serviam de desculpa para não ter que fazer, para adiar. Parecia que nunca se reuniam as condições necessárias para optimizar o meu esforço. Ainda hoje persisto na busca dessas circunstâncias, mas decidi mudar a minha abordagem. Reconheci que o defeito estava em mim, e não nas situações ao meu redor.

Vá, não tenham vergonha de admitir que também passam por isso… O grande problema é que “ este adiamento pertinente” apenas ocorre com projectos nossos. Assumimos, ainda que inconscientemente, que nós teremos sempre tempo, e tendemos a dar preferência aos outros. É mesmo uma questão de prioridades! Vivemos numa época onde queremos fazer tudo rápido e simultaneamente para podermos poupar tempo. E para quê? Apenas para fazermos mais coisas. Mas, será que esse tempo poupado não poderia servir para nada fazer? É como um acto compulsivo que não controlamos, talvez com receio de vermos o que deixamos de fazer para nós próprios. O “carrossel da vida”, de onde não queremos sair pois oferece-nos a segurança depositado no hábito, no comum. Mascarámo-nos como os outros, para não vermos a nossa diferença.

O facto de sermos únicos é o que nos confere a liberdade de ser, aprendam a usufruir disso. Lanço-vos um pequeno desafio: procrastinem durante uns minutos e revejam se o que fazem, espelha o que querem verdadeiramente para a vossa vida.

“All our dreams can come true, if we have the courage to pursue them.”
Walt Disney

Sem comentários:

Enviar um comentário