abril 28, 2009

Os Inimigos de Shiva

OS INIMIGOS DE SHIVA

Certa vez, os saddhus (os yôgis que vivem isolados, solipsistas) sentiram muita raiva de Shiva e conspiraram para assassiná-lo. Acenderam uma fogueira sacrificial de magia. De dentro do fogo mágico surgiu um tigre furioso ao qual ordenaram que fosse matar o Mestre Shiva. Mas Shiva matou a besta, arrancando sua pele e vestindo-se com ela.

Do fogo saiu, em seguida, um trishúla (lança de guerra em forma de tridente) para matá-lo, porém Shiva se apoderou dele e passou a usar como arma para sua defesa. Depois, serpentes para picá-lo, entretanto o Mestre as usou como braceletes e colares com os quais se enfeitou.

Uma horda de demônios surgiu logo depois. Shiva com um mudrá aplacou sua fúria. Ele ordenou que formassem um exército para servi-lo, e eles obedeceram docilmente.

Em seguida, os saddhus atiraram uma caveira contra o Senhor Shiva. Ele a agarrou no ar e colocou-a para enfeitar os cabelos.

Os saddhus, indignados com seus fracassos, tentaram usar seus mantras maléficos para destruí-lo. Eles se agruparam e tomaram a forma de um som terrificante que saía de uma concha (shank). O Mestre apoderou-se da concha e a conservou em sua mão, pelo que passou a ser chamado de Shankar.Os saddhus, que pareciam nunca desistir de destruir o grande Mestre Shiva, fizeram um novo trabalho de magia negra, acendendo outro grande fogo do qual saiu um poderoso gênio denominado Avidyá ou Muyalakan. Ordenaram-lhe que usasse o fogo e matasse o Mestre. No entanto, Shiva apanhou o fogo com a mão, derrubou o gênio e pisoteou-o.

Os saddhus lançaram maldições e injúrias contra o Mestre. Nenhuma foi eficaz. Muyalakan, esmagado pelos pés de Shiva, debatia-se, mas não conseguia pôr-se de pé. Shiva começou a dançar sobre ele e o Universo tremeu.

Quando a dança parou, os saddhus prostraram-se aos pés do Mestre e cantaram-lhe louvores. Shiva ordenou-lhes que, daquele momento em diante observassem os sádhanas e passassem a seguir uma vida piedosa. Depois disso, voltou para a sua morada no Monte Kailash, casou-se com sua Shaktí e viveu feliz por toda a eternidade. Até hoje, em todo o mundo, pratica-se a arte de força, poder e energia criada por Shiva e com a qual ele venceu todos os obstáculos. O nome dessa arte é Yôga!

DeRose

abril 27, 2009

abril 25, 2009

A viagem a Lisboa

Eis a razão pela qual estivemos encerrados no final de semana passado! :)
A chegada ao lançamento do livro "Tratado de Yôga".

Prontinhas para ver as demonstrações de coreografias.


O livro autografado pelo Mestre DeRose.
E mais um autografo!

Entrevista na rtp2 (sem ter de passar o programa à frente!)

abril 24, 2009

A síndrome do fracasso



A síndrome do fracasso

Fracasso! Um conceito assustador e temido por todos, que está presente em praticamente todas as nossas decisões de vida. Torna-se percalço evitável, ou destino fatal?

Na nossa cultura ocidental, a educação – muito influenciada pela religião católica – caracteriza--se pela recriminação do erro, e pela exaltação de um modo de vida idílico patenteado por inúmeros padrões socioeconómicos. Desde que iniciamos a comunicação com o mundo à nossa volta, que somos doutrinados a não errar. Somos castigados, punidos e até discriminados quando o fazemos. Não me refiro apenas à educação familiar, mas a toda a estrutura da sociedade actual. Esta censura de que somos alvos, inculca-se na nossa consciência e gera como resposta, um comportamento temente ao fracasso. E, que comportamento é esse, e em que é que ele se torna tão marcadamente visível? Simples, na falta de iniciativa generalizada!

Quero realçar, que, como em qualquer generalização, cometerei por certo alguns erros de excepção. O que só vem confirmar a regra! Por todo o lado, se ouve as pessoas queixarem-se de algo que não está bem, ou que poderia estar melhor. Pessoas que se deixam levar pela necessidade de alcançar o padrão social, suprimindo até mesmo as suas próprias metas pessoais, porque receiam a mudança e temem a consequência de um possível erro. Qualquer mudança, mesmo que para melhor, acarreta alguns inconvenientes, mas porque há-de a hipótese fracasso ser a 1ª a colocar-se? Porque sempre que se pensa em consequências se vê o lado negativo?

Durante mais de 11 anos, o desporto colectivo foi a minha escola de vida. Como adulto, hoje reconheço inúmeras experiências que correram menos bem, e o quanto pude através delas aprender, mas a resistência, a perseverança e sede de vitória sempre geraram em mim a ânsia de conquista. Desenvolvi, por isso uma atitude que me leva a evitar o erro, mas a não temê-lo, pois ele é parte imprescindível de qualquer processo de desenvolvimento. Se todos pararem um pouco para avaliar alguns dos ensinamentos que mais prezam, e que mais moldaram os vossos valores, vão reconhecer que provavelmente o erro tornou mais claro e mais rápido essa aprendizagem.

Como diz, o maior jogador de basquetebol de todos os tempos – Michael Jordan: “ Ao longo da minha vida foram inúmeros os erros que cometi, mas é aí que reside a razão do meu sucesso.”

“ Para poderem ter êxito, o vosso desejo de sucesso tem que suplantar o medo de falhar!”
Bill Cosby

abril 23, 2009

Crise = oportunidade - Uma questão de perspectiva



Crise = oportunidade - Uma questão de perspectiva!

Tenho, por garantido, que já muitos de vocês estarão a questionar-se quanto à verdade da afirmação do título. Posso até adivinhar uma certa renitência da vossa parte, em aceitar que tal sugestão possa sequer ser possível. Mas, vamos analisar 2 aspectos essenciais, que por certo o farão repensar a sua postura:

1º Utilizando o referencial da história mundial que conhecemos, podemos perceber inúmeros períodos de crise, o que leva os economistas sempre a defender que são fenómenos cíclicos. Após a recessão, o crescimento; após a tempestade, sempre vem a bonança. E nesses períodos mais negros, sempre a necessidade levou o Homem a reagir à mudança, adaptando-se às novas condições. Desde a Era Glaciar que - não envolvendo motivos económicos, terá sido talvez o momento de maior mudança na humanidade, redefinido costumes, comportamentos, hábitos alimentares, etc. – somos surpreendidos pela enorme capacidade de adaptação do ser humano, revelando apetências que julgava não possuir. Surgem novas invenções, reformam-se ideologias, questiona-se e procuram-se respostas. Tudo, fenómenos de crescimento.

2º O maior problema observado na crise, é que o poder de compra desce. Consequentemente, a procura também desce, o que resulta a médio prazo num decréscimo de preços. Até aqui, muitos dirão que é um filme já visto, mas o que torna tão pior este período actual? Simples, a instalação do medo. Vivemos uma época em que são inúmeras as relações de dependência que criamos. Dependência do telemóvel, da internet, do carro, do cigarro….e dezenas de outras coisas que julgamos não conseguir viver sem. O receio de termos que abdicar de alguma dessas relações, elimina o nosso discernimento de tirarmos proveito da mudança, porque apenas observamos a insegurança de perder.

Mudança pode surgir como sinónimo de crise. Ela é temida, indesejada, acarreta o receio do desconhecido e altera padrões de comportamento. O defeito do Homem é que não produz a mudança voluntaria e conscientemente como forma de desenvolvimento, assim fica sempre à mercê do seu instinto numa situação de desespero para se adaptar. Pois então, é agora! Não criamos as condições, mas elas estão aí. Torne o seu instinto e adaptabilidade, armas de consciência para mudar. Mas, não olhando para o que poderá perder, e sempre visando o que ganhará.

Tal como o Tim cantava nos Resistência, na canção “Nasce Selvagem”: “Tu pertences a ti / Não és de ninguém”. Pois bem, é a altura de se destacar da multidão!

abril 21, 2009

Entrevista no canal 2

No telejornal de sábado à noite da rtp2 houve mais uma entrevista com o Mestre DeRose!

Aqui vai o link, é só passar 30min do programa à frente para ver a entrevista :)

http://tv.rtp.pt/programas-rtp/index.php?p_id=16478&e_id=&c_id=8&dif=tv

abril 18, 2009

abril 16, 2009

Sat Chakra - Fotos

Tal como prometido, aqui ficam as fotos do sat Chakra :D

a actuação final do singstar

duetos

a batalha!

ainda tímido o filipe na sua primeira canção

estava dificil a colocação do pin, mas ficou muito bem colocado

a nº1 :)

a primeira sádhaka
























abril 15, 2009

Sat Chakra

Hoje, às 21h30 temos o nosso sat chakra mensal! E vamos ter a nossa primeira entrega de pins :)

Aparece, com uma flor e um fruto!

Amanhã temos as fotos....

SwáSthya!

abril 14, 2009

Aula do curso básico


Hoje às 21h temos mais uma aula do curso básico, aula nº7.


O tema de hoje é "Como montar uma prática completa de Yôga".


Vamos abordar:


- as 4 informações básicas que o instrutos deve dar (nº de ordem do anga, nome sâncrito,

tradução, definição);

- quanto tempo se necessita para transmitir essas 4 informações nos 8 angas, em uma aula de

1 hora;

- a expressão numérica que exprime uma sessão de Yôga;

- como se faz a abertura e o encerramento de uma prática de SwáSthya;

- a razão das pernas cruzadas.

abril 13, 2009

História recente do Yôga

HISTÓRIA RECENTE DO YÔGA

1805 – Foi realizada a primeira transliteração da língua sânscrita para o inglês.

1894 – É convencionada a transliteração do sânscrito para o português no X Congresso Oriental de Genève.

1889 – William Q. Judge foi o responsável pela primeira publicação do Yôga Sútra, no Ocidente.

1893 – Swámi Vivêkánanda viaja aos Estados Unidos. Isso constitui um marco inaugural do Yôga nas Américas.

1947 – Mataji Indra Dêví abre sua academia em Hollywood, chamando-a de Yôga Studio. No mesmo ano, o professor Theos Bernard publica Hatha Yôga Uma Experiência Individual.

1950 – Sevánanda Swámi introduz no Brasil, pela primeira vez, o Sarva Yôga, instalando-se inicialmente em Lages (SC) e, posteriormente, um mosteiro em Resende (RJ).

1953 – Mataji Indra Dêví publica seu novo livro Sempre Jovem, Sempre Saudável.
1954 – Mircea Eliade publica o livro Yôga, Imortalidade e Liberdade.

1955 – O General Caio Miranda torna-se o primeiro professor brasileiro de Yôga, funda a primeira escola de Yôga do Brasil, o Instituto de Yôga do Rio de Janeiro. Foi o primeiro autor brasileiro a escrever e publicar um livro de Yôga e, com isso, torna-se o primeiro autor no mundo a escrever um livro Yôga em língua portuguesa.
1959 – Matají Indra Dêví publica o livro, intitulado Yôga para Americanos. No mesmo ano, Mahárishi Mahêshi Yôgi, mestre dos Beatles, visita os Estados Unidos.

1960 – DeRose, aos 16 anos de idade, começa a lecionar na Fraternidade Rosacruz e publica o livro Prática de Yôga Elementar.

1962 – É lançado no Brasil o livro Autoperfeição com Hatha Yôga, do Coronel Hermógenes, que se torna o segundo brasileiro a publicar um livro de Yôga. Em virtude do lançamento do livro, realiza inúmeras palestras no Rio de Janeiro e convida o jovem DeRose, então o melhor praticante do Brasil, para fazer a demonstração das técnicas durante a exposição. Por consequência das palestras, funda no mesmo ano a academia Hatha Yoga Hermógenes. No ano seguinte, vem ao Brasil um professor indiano e dá uma conferência no auditório do jornal O Globo. Na ocasião, declara publicamente que ninguém no Brasil conhece Hatha Yôga nem está autorizado a ensinar essa modalidade. Hermógenes, constrangido, muda o nome da HTH para Academia Hermógenes.

1964 – DeRose abre sua primeira escola no 33o. andar do Edifício Avenida Central, no Rio de Janeiro. Hermógenes não fica satisfeito com a concorrência desse instrutor que é muitos anos mais novo e inicia uma campanha de difamação e exclusão do jovem, no que é obedecido por todos os demais do métier, uma vez que ninguém queria se indispor com um coronel em plena ditadura militar. As consequências dessa perseguição permanecem para sempre pelo fenômeno do “reflexo da inércia residual”.

1965 – Swámi Bhaktivêdánta Prabhupada funda nos EUA a sociedade Internacional para Consciência de Krishna (Hare Krishna). Neste ano, a Lei de Imigração dos EUA reavalia a entrada de novos imigrantes indianos no país.

1966 – B. K. S. Iyengar lança seu livro Light on Yôga.

1968 – O General Caio Miranda já estava com várias filiais do Instituto de Yôga do Rio de Janeiro em todo o Brasil (RJ, SP, MG, PR, DF), além de escolas em Lisboa (Portugal), e Córdoba (Argentina). Foi o primeiro professor brasileiro exportar know-how cultural na área de Yôga.

1969 – DeRose publica seu livro, o Prontuário de SwáSthya Yôga, começando a formalizar a sistematização do Yôga Pré-Clássico.

1970 – O Presidente da Federação de Yôga da Bélgica, André van Lysebeth, publica seu livro Aprendo Yôga.

1971 – Gopi Krishna publica um livro elucidativo sobre a energia ígnea, intitulado Kundaliní Evolução e Energia do Homem.

1973 – Van Lysebeth vem ao Brasil e assiste a uma aula prática ministrada por DeRose. A foto do evento é publicada no livro autobiográfico Quando é Preciso Ser Forte.

1974 – DeRose realiza uma peregrinação pelas escolas de Yôga, Yóga e Yoga de todo o Brasil, ministrando cursos e propondo uma campanha de mais união no métier.

1975 – DeRose funda a União Nacional de Yôga – Uni-Yôga, uma entidade cultural sem fins lucrativos, cuja missão é o intercâmbio, união e ajuda a instrutores de Yôga de todo o país. Foi a primeira a ser fundada nesses moldes e foi também a primeira entidade estritamente brasileira de abrangência em todo o território nacional, daí o seu nome.

1978 – DeRose lidera a campanha pela criação e divulgação do primeiro projeto de lei visando a regulamentar a profissão de instrutor de Yôga. A União Nacional de Yôga é citada nominalmente no Projeto de Lei no. 5160. DeRose visita vários estados com a finalidade de expor o projeto aos professores das diversas modalidades de Yôga e escutar suas expectativas e reivindicações para que o projeto pudesse ser melhorado, atendendo às conveniências de todos. Foi cedo demais. Nossa classe profissional não estava amadurecida. Houve desunião, orgulhos feridos e um festival de egos. Os próprios beneficiados, os professores de Yoga, boicotaram a proposta. No final, a regulamentação não se concretizou por uma questão de visão pequena e ego grande por parte dos instrutores de Yoga da época. Vinte anos depois tudo se repetiria.

1979 – A partir da década de setenta, DeRose introduz os Cursos de Extensão Universitária para a Formação de Instrutores de Yôga em praticamente todas as Universidades Federais, Estaduais e Católicas do Sul e Sudeste e várias do Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

1980 – DeRose começa a ministrar cursos na própria Índia e a lecionar para instrutores de Yôga na Europa.

1982 – DeRose promove o primeiro Congresso Brasileiro de Yôga, e lança neste mesmo ano mais dois livros: o Guia do Instrutor de Yôga (primeiro livro destinado a profissionais de Yôga, dirigido a todas as linhas) e o Yôga Sútra de Pátañjali, que disserta sobre o Yôga Clássico. Desafortunadamente, quanto mais sobressaía, mais tornava-se alvo de uma perseguição impiedosa movida pelos que sentiam-se prejudicados com a campanha de esclarecimento movida pelo Prof. DeRose.

1994 – Completando 20 anos de viagens à Índia, DeRose fundou a Primeira Universidade de Yôga do Brasil e a Universidade Internacional de Yôga, em Portugal. 1997 – DeRose lança os alicerces do Conselho Federal de Yôga, registrando-o em cartório de Registro de Pessoas Jurídicas, o qual passa a constituir o ícone da nossa identidade profissional. É símbolo da nossa resistência contra a tentativa de subordinação do Yôga pela Educação Física. É a demonstração de que estamos organizados e unidos o bastante para nos tutelarmos a nós mesmos.

1997 – DeRose funda o Sindicato Nacional dos Profissionais de Yôga. Rosana Ortega foi eleita como primeira presidente do Sindicato pelo qual lutou bravamente até 2009.

1998 – A Educação Física é regulamentada e funda seu Conselho. A partir de então, passa a perseguir todos os profissionais de todas as linhas de Yôga, Yóga, Yoga e ioga. A categoria se divide entre os que querem se subordinar à Educação Física e os que exigem que seja respeitada a identidade e autonomia da classe dos profissionais de Yôga.

2001 – DeRose recebe da Sociedade Brasileira de Educação e Integração a Comenda da Ordem do Mérito de Educação e Integração.

2002 – DeRose considera que já fez a sua parte e, após mais de quarenta anos de luta, desliga-se oficialmente do movimento pela regulamentação da profissão. Tomou essa decisão para que os colegas de outras linhas de Yôga, Yóga ou ioga ficassem bem à vontade para assumir a liderança e decidir, eles mesmos, como querem que seja realizada a tão importante regulamentação da profissão.

abril 08, 2009

Blog do DeRose


Para quem já criou o hábito de seguir um blog que todos os dias nos ensina algo de novo é porque é seguidor do blog do Mestre DeRose. Vale a pena visitar o blog e nos deliciarmos com os post que diariamente ele coloca on-line.

Boas leituras! :)

abril 07, 2009

Aula teórica de hoje

Hoje, às 21h temos aula do Curso Básico e o tema de hoje é o ashtánga sádhana.

O ashtánga sádhana é a característica principal do SwáSthya Yôga, é a sua prática ortodoxa. Ashtánga sadhana significa prática em oito partes (ashta=oito; anga=parte; sádhana=prática). Trata-se de uma prática ortodoxa em que as suas oito partes denominam-se, em ordem, por:
mudrá - gesto reflexológico feito com as mãos;
pújá - sintonização com o arquétipo; retribuição de energia;
mantra - vocalização de sons e ltra-sons;
pránáyáma - expansão da bioenergia através de respiratórios;
kriyá - actividade de purificação das mucosas;
ásana - procedimento orgânico;
yôganidrá - técnica de descontração;
samyama - concenração, meditação e hiperconsciencia.

abril 02, 2009

Parcerias


Como trabalhar em conjunto é sempre muito melhor, apresentamos aqui as nossas parcerias.


Tanto os nossos alunos podem usufruir de descontos em diversos locais, como os funcionários, familiares e clientes de outros estabelecimentos têm vantagens no nosso espaço.


Estes são apenas algumas das muitas parcerias que temos para si!

abril 01, 2009

Curso do Mês

Este mês temos um curso de introdução ao SwáSthya Yôga. Vem saber mais sobre esta cultura!
Ao longo deste curso, iremos abordar as origens do yôga, a sua cronologia histórica, bem como a influência de outras filosofias sobre esta herança milenar. Destacaremos o SwáSthya Yôga, analisando as suas características principais e a distinção para com os demais tipos de yôga.
Inscreve-te ainda hoje e garante a tua vaga!

Calendário de Actividades de Abril

Bem vindos ao novo mês de Abril!
Apesar de hoje ser o dia dos enganos, eu garanto que todas as actividades colocadas no calendário de hoje estão confirmadas ;)