março 23, 2009

Nova Crónica!


Homem: Ser racional ou emocional?

Aposto que o leitor já encontrou a resposta a esta pergunta, e sente não ter dúvida alguma quanto à incerteza que a questão parece colocar, mas peço-lhe que não vá atrás do 1º impulso e procure a resposta em si, quando chegar ao final deste texto.

Para começar, vamos estabelecer ordem na casa e descrever as diferentes formas de acção do homem. Através da sua estrutura física e orgânica, criamos uma ponte de ligação e comunicação com o mundo que nos rodeia. É, inclusive essa a nossa 1ª forma de aprendizagem, desenvolvida a partir da acção simplificada dos nossos sentidos. Eles captam a informação vinda do exterior, interpretam-na e veiculam-na no corpo sob a forma de conhecimento para que possa ser armazenada na nossa memória, a fim de que seja utilizada no futuro. Vamos desta forma, compreendendo o mundo à nossa volta e desenvolvendo ferramentas de adaptabilidade.
Segue-se a estrutura emocional. Matéria subtil e imperceptível em forma, mas marcadamente presente me tudo o que fazemos. É o espaço contido entre a sensação, veiculada pelos sentidos, e o pensamento, acto de compreensão. Sendo uma estrutura tão volátil, em tamanha transformação constante, torna-se difícil definir se surge como causa ou consequência de um determinado acto, seja ele físico ou mental. Será a emoção que nos leva a agir, que nos faz pensar, ou será meramente uma causa desses dois processos?
E, por último, temos a estrutura mental ou racional ( deixo para uma outra ocasião a possibilidade de desmentir se são apenas estas as estruturas do Homem ). Esta estrutura é a responsável pela nossa apetência em relacionar espaço e tempo, possui a memória, o cálculo, a lógica e outras estruturas que por certo identificam.
Agora que temos revisto o universo do nosso corpo, vamos responder à questão colocada em cima. O Homem despende todo o seu tempo na perseguição de uma emoção, a felicidade, vive talvez sem nunca se sentir pleno nesse processo, e porquê? Porque gere toda a sua vida, toma todas as suas decisões pela razão. O impulso que o levou a responder imediatamente em cima, não é usado nas encruzilhadas diárias, e com isso compromete o alcançar da meta que traçou.
Na sua natureza, o Homem é mais do que emocional, é mais do que mental, mas para que compreenda tudo isso, tem que dar mais ouvidos à emoção.
“ Não espere o seu corpo gritar em desespero, ouça-o quando ele sussurra.”

Sem comentários:

Enviar um comentário